Archive for the 'Imagens' Category

13
set
09

2009: Ano da França no Brasil

No finalzinho do ano passado, li um artigo na Gazeta do Povo, comunicando que o ano de 2009, seria o ano da França no Brasil.

Sendo assim, estavam programados vários eventos, em várias cidades por todo o país, para divulgação da cultura francesa. Dentre os eventos, a cidade de Curitiba foi escolhida para sediar a exposição dos irmãos Louis e August Lumière.

Irmãos Lumière

Fiquei super empolgada! E também me senti sortuda e realizada, pois minha cidade receberia uma exposição dos pais do cinema e dos inventores dos Autocromos Lumière (a primeira revelação colorida de fotos). Comecei a acompanhar religiosamente os eventos culturais, até que o Museu Oscar Niemeyer divulgou o evento em sua programação.

Hoje, como todo bom brasileiro, na última hora, do último dia da exposição, fui lá conferir…

Exposição no MON - Autocromos Lumière

Não tinha como não sorrir diante das reproduções dos primeiros filmes realizados em toda a história da humanidade!

Além dos filmes, uma coleção de autocromos, para demonstrar a aplicação da nova tecnologia, que só foi substituída 30 anos depois, quando foram inventadas as revelações coloridas através de elementos químicos (os Lumière usavam fécula de batata). Abaixo, segue foto de um autocromo da exposição. Levei um “pito” do segurança, pois só era pertimido tirar fotos panorâmicas. Bem, esta eu consegui enquadrar…

Fabricante de marionetes em Lyon - Placa Autocromo Lumière

Também foi gratificante ver que a galeria reservada à exposição estava lotada! Pois sei que eventos culturais são pouco divulgados, e grande parte da população não costuma inseri-los no seu dia a dia.

– – –

Hoje também, terminei de ler mais um livro: André Midani: Música, Ídolos e Poder. Do vinil ao download. Minha surpresa foi que, nos últimos capítulos, Midani descreve a corrida contra o tempo que foi para ele organizar, a convite do Ministério da Cultura, o ano do Brasil na França!

Coincidências…

Ali deu pra ter uma idéia da dimensão deste tipo de evento e também como é raro acontecer entre países…

– – –

Deixarei uns links para quem quiser mais informações:

Ano da França no Brasil: http://anodafrancanobrasil.cultura.gov.br; é possível consultar os eventos por região.

Instituto Lumière (página em francês):  http://www.institut-lumiere.org/

Artigo sobre os Irmãos Lumière publicado na Revista Superinteressante: http://super.abril.com.br/superarquivo/1991/conteudo_112830.shtml, vale a pena ler!

André Midani: http://www.midani.com.br/

Ps.: O ano da França no Brasil é uma “retribuição” ao Ano do Brasil na França, que ocorreu em 2006.

Anúncios
15
jul
08

Caminho do Itupava

 

No último sábado, alguns amigos e eu fomos acampar na Serrado Mar, no meio da Mata Atlântica e também, percorrer o Caminho do Itupava. A foto acima, tiramos no Borda do Campo, início do caminho no município de Quatro Barras.

Há tempos atrás, tal caminho era a única ligação do litoral com o planalto. Inicialmente era uma trilha indígena, e posteriormente, os jesuítas colocaram as pedras, mais precisamente no século XIX.

 

É indescritível a sensação de estar ao lado da natureza!! O único som que ouvíamos era o vento passeando através da mata, um grilo distante, vez ou outra o pio de pássaros, muitas vezes o som de cachoeiras e rios de água límpida, além da nossa respiração. Respirar ar puro, colocar o corpo pra trabalhar, passeio formidável!

O caminho possui 16 Km de extensão, muitas subidas, muitas descidas, estas forradas de pedras escorregadias que renderam muitos tombos, e aquelas, colocavam a prova nossa resistência física e capacidade pulmonar!!

Além da natureza ao redor, pudemos visitar alguns pontos históricos. O primeiro foi a Casa do Ipiranga, que durante certo tempo, foi a casa do engenheiro chefe da construção da ferrovia. A casa do Ipiranga na época era assim:

Hoje, ela está assim:

 

 

Quando tirei estas fotos, já era noite, pois fizemos uma parte da trilha à luz de lanternas. Nós montamos acampamento a 100 metros da casa, ao lado de uma cachoeira, onde funcionava uma pequena usina hidrelétrica que gerava luz à Casa do Ipiranga.

 

No domingo pela manhã, continuamos a trilha. Passamos pela Ferrovia (inaugurada em 1885). Subimos, subimos, descemos, descemos, descemos, e chegamos ao Santuário do Cadeado, onde funcionava o escritório da Comissão Construtora da Ferrovia. Neste ponto, sentia muita dor nos joelhos, por conta das descidas escorregadias, e dor em todos os músculos do corpo, pois o trajeto do domingo foi o mais comprido e pesado. Ao chegar ao final da trilha ainda tivemos que percorrer uma estrada que faz margem ao Rio Nhundiaquara, mais 4 Km!!!

No total percorremos 20 Km, durante 10 horas de caminhada!

Quero agradecer a Pri Vargas e a Rosane, pelo convite! Vocês mataram uma antiga vontade minha de fazer trilhas. Também nunca tinha acampado, mais uma nova experiência! Além disso tudo, aqui começa uma nova fase: voltar ao ritmo que eu tinha há tempos atrás! Preciso dizer tchau definitivamente à vida sedentária que eu estava levando!!

E com certeza faremos novas trilhas… Há muitos lugares ainda a serem percorridos!

02
jul
08

Repostagem 2

Dualismo

Não és bom, nem és mau: és triste e humano…
Vives ansiando, em maldições e preces,
Como se, a arder, no coração tivesses
O tumulto e o clamor de um largo oceano.

Pobre, no bem como no mal, padeces;
E, rolando num vórtice vesano,
Oscilas entre a crença e o desengano,
Entre esperanças e desinteresses.

Capaz de horrores e de ações sublimes,
Não ficas das virtudes satisfeito,
Nem te arrependes, infeliz, do crimes:

E, no perpétuo ideal que te devora,
Residem juntamente no teu peito
Um demônio que ruge e um deus que chora.

Foto: Minha Sombra (Priscila Rangel)
Poema: Dualismo (Olavo Bilac)

02
jul
08

Repostagem 1

LUMINÁRIA

Branco no negro,
Guia as pessoas que,
Precisam de luz.

Foto e Tentativa de escrever um Haicai por Priscila Rangel.