Archive for the 'Pessoal' Category

14
ago
13

Prece

Escrevi há uns tempos…

Resolvi mostrar ao mundo 😉

PRECE

Senhor, o que farás?
Com aqueles que não querem acreditar
No livro das pessoas que achavam que a terra era quadrada?

Senhor, devo aceitar?
Este destino, desatino, terrorismo,
Do fim dos tempos onde a chuva vai queimar?

Senhor, o que pensar?
Das histórias dos milagres,
Das intrigas, dos disfarces, de que ainda ousam falar?

E nós, vamos condenar?
Quem paga com a própria vida
A mentira, a utopia, de quem não ousa pagar?

Dê-me paz!!
Dê-me o amor!
E no mais?
Até quando?

Priscila Rangel

Anúncios
23
dez
12

bye bye 2012!

Inacreditável, mas já fazem 20 meses que não posto nada aqui…

E cá estamos em mais um final de ano, 2012 está indo, e o ano que está por vir está chegando,

2013!!

Seria este post uma prerrogativa para eu voltar a postar aqui no próximo ano?

Enfim, são breves palavras para não deixar o blog zerado em 2012, ano morno, daqueles que não acontecem nada de significativo, nada de bom, mas também nada de ruim.

Me faz lembrar a bíblia sempre: “Assim, porque és MORNO e não és frio nem quente, VOMITAR-TE-EI da minha boca.”

Então, bye bye 2012!!

Que o próximo ano venha com novas realizações! Sonhos!!! E energia!

21
fev
11

Kraftwerk + Senor Coconut Y Su Conjunto

Os alemães do Kraftwerk, são os precursores da música eletrônica.Seu primeiro álbum, homônimo, é de 1970, e eles já usavam sintetizadores, e uma parafernália eletrônica pra fazer música…

Conheci o Kraftwerk quando criança. Minha mãe tinha um vinil do álbum Radio-Activity, lançado por eles em 1975. Eu adorava botar pra rodar no toca-discos, a segunda música do lado B: a música Antenna.

 

Achava sensacional!!

 

Aliás, vale ressaltar, que muita coisa de que eu gosto hoje, aprendi com meus pais, escutando os discos de vinil deles, como por exemplo, o Pink Floyd, que escutava desde os meus, sei lá, acho que cinco anos, por causa de um vinil do meu pai. Mas isto é história para outro post…

Enfim, recomendo para quem não conhecer escutar algumas canções: Autobahn, Trans-Europe Express, The Model, Pocket Calculator, The Robots. Todas sensacionais! Todas as músicas tem sua versão em inglês e em alemão.

Mas o post de hoje, na verdade é para falar de um super achado! “Fuçando” na net descobri Senor Coconut Y Su Conjunto. No álbum El Baile Aleman, eles fizeram versões, na verdade covers, de algumas músicas do Kraftwerk, mas com muita latinidade, colocando cha cha cha’s e merengue’s para engrossar as canções do Kratwerk!

Simplesmente fantástico!! As batidas eletrônicas aqui são substituídas por instrumentos de sopro, baixo acústico, xilofones…

Vou deixar aqui, a música The Robots, primeiro com o Krafterk, a original, e depois com o Senor Coconut… Apreciem!!

 

 

17
nov
10

virada cultural

O último post foi para divulgar a Corrente Cultural 2010, evento que terminou no último final de semana, mais precisamente no dia 14 de novembro. Mais de 60 espaços cederam suas sedes para os mais de 350 eventos que aconteceram durante os 11 dias de programação.

Acompanhei de perto a Virada Cultural, que ocorreu entre os dias 06 e 07. Mais de 140.000 pessoas assistiram às 24 horas ininterruptas da programação. A seguir, comentarei sobre os shows que assisti e também, sobre os amigos que encontrei! Tem coisa melhor? Boa música ao lado das pessoas que a gente gosta!!

Cultura de graça para a população! Que venha a Corrente Cultural 2011!

Curitiba agradece!

 

SÁBADO – 06/11/2010

 

Paulinho da Viola

Sol de rachar, um calor imenso, muita gente na praça Generoso Marques (10.000 pessoas), e muitos chapéus Panamá! O Show do Paulinho da Viola abriu a Virada… Foi lindo ver o coro de vozes cantando músicas como: Dança da Solidão, Timoneiro, Pecado Capital, Coração Leviano, Foi Um Rio Que Passou em Minha Vida, entre outras. A Orquestra à Base de Corda estava fantástica como sempre! Senti certo nervosismo no João Egashira (diretor artístico), ao se referir ao Paulinho. Entendo sua emoção: um evento único, com um artista único, frente há muitas pessoas, um público bem maior do que a Orquestra está acostumada a se apresentar em Curitiba. Destaco a participação de Cristóvão Bastos, que além de arranjar algumas músicas, estava presente e tocou ao piano algumas canções.

Para quem não viu ou para quem quer rever:

Acabando o show do Paulinho, a próxima atração era na Praça da Espanha… Calor de rachar, “tirei” a Cintia de casa, e fomos ver o show do

 

Hermeto Pascoal

 

Quem diria que um dia antes chovia? Há que não conheça Curitiba! Hehe… O Sol estava ainda mais quente quando o show do grande mestre começou! Se Paulinho da Viola já fez alguns comentários a respeito do calor que estava, o Hermeto até improvisou no palco falando do calor: “O sol tá me queimando… mas a minha alma não!”. Hermeto tocou piano, escaleta, flauta, gaita ponto, e cantou, e improvisou. Sempre usando de humor cantava coisas como: “Sou gordinho, fofinho, redondinho… Com a barriga cheia de torresmo”. Acompanhado da Orquestra Sinfônica, (curioso ver os músicos de jeans e camiseta), do percussionista Fábio Pascoal, da cantora Aline Moreira, Hermeto apresentou-se para cerca de 5.000 pessoas.

Para quem não viu ou para quem quer rever:

Eu fiquei que nem um camarão, cheguei a ficar com a marca dos óculos de sol, tamanho era o sol! A Chris e a Ro também estavam assistindo mas nem nos encontramos!! Dei um abraço no Luizinho, me encontrei com a Ti (sempre parceira, que me acompanhou até no show do Roberto), passamos “pegar” a Nine e seguimos para a UTFPR… Então eu, Nine, Ti e Cintia fomos ver o

 

Brasileirinho

Apresentando uma releitura do bem humorado show Álbum de Família, o Brasileirinho tirou boas risadas da platéia. O repertório com o melhor de nossa MPB tem músicas de Gilberto Gil, Vinícius de Morais, Toquinho, Milton Karam, passando pelo Forró de  Dominguinhos e Luiz Gonzaga, pela Jovem Guarda com Carlos Imperial e com o BRock de Eduardo Dusek, Titãs e Ultraje a Rigor.

Particularmente, acho que eles ficaram um pouco aquém do show apresentado no ano passado, mas parece-me que esta era a primeira apresentação das crianças, que estavam um pouco nervosas, mas mesmo assim, valeu a pena!

Para quem não viu ou para quem quer rever:

Depois de fazermos um lanchinho, fomos para o show do Rei…

 

Roberto Carlos

 

Tava bagunçado. PM rondando por todos os lados (também, 50.000 pessoas é gente pra “dedéu”), gente sendo presa, PM tirando neguinho dependurado de estrutura de luz, mulheres desabando de cima dos banquinhos (hehe), gente passando mal… Um cenário bem diferente dos demais shows da Virada, mas enfim, ver o Rei de graça, literalmente não tem preço. Hehe…

Sinceramente não tenho muito pra falar do show do Roberto Carlos seus clichês: seus finais de músicas com a sua risadinha clichê, seus “é isso bicho” (clichê)! Abertura com Emoções: “Quando eu estou aquiii” (clichê)! Me senti dentro de um especial da Globo… Hehe… Por falar em Globo, era aniversário da RPC…

É inegável a participação de Roberto Carlos em nossa música. Incontáveis sucessos e liderança de um grande movimento pop – a Jovem Guarda.

Era legal ver as senhoras emocionadas, muitas realizando um grande sonho: ver o Rei de perto! A emoção das pessoas cantando “Nossa Senhora”!

E minha realização pessoal: vê-lo cantando Detalhes, para mim, umas de suas melhores composições! Ah, e tenho que tirar o chapéu pra “banda” que o acompanha! Entre aspas porque é praticamente uma orquestra! Com o som impecável por sinal!

 

Para quem não viu ou para quem quer rever:

Saímos antes do término, eu e a Ti, pra evitar a “muvuca”, e pra ir também ao tão aguardado (pelo menos para mim) show da banda mineira…


DOMINGO – 07/11/2010

 

 

Pato Fu

Gente! Como fazia tempo que eles não tocavam aqui! Foi maravilhosoo!

 

Com vocês Fernanda Takai: “A Virada atingiu um público muito diversificado e que está acompanhando com muita satisfação toda a programação do evento. Fazia um bom tempo que nós não tocávamos em Curitiba. Se dependesse só do Pato Fu, nós iríamos nos apresentar com uma frequência muito maior aqui. Os curitibanos sempre nos recebem de braços abertos e em troca damos o nosso carinho”

 

Os patos tocaram pra cerca de 10 mil pessoas, sucessos da banda: Antes Que Seja Tarde; Depois; Anormal; Made In Japan (que terminou com parte de Capetão 66.6 Fm); Uh Uh Uh, Lá Lá Lá, Ié Ié; Canção Pra Você Viver Mais, entre outras! Eu pulei, cantei e dancei igual uma louca!! Como sempre, eles “desenterram” alguma pra deleite dos fãs mais antigos, Fernanda Takai relembrou o primeiro show em Curitiba, no antigo Aero Anta, e mandou ver “Mamãe Ama é o Meu Revólver”. E pra finalizar o show: Sobre O Tempo!

Bem, sou suspeita pra falar! Pato Fu se não for a primeira, é uma das minhas bandas preferidas! ADORO!!

Agora espero que eles venham com o Música de Brinquedo, como disse a Fernanda:

“É sempre bom ouvir o bom e velho Pato Fu, mas queremos voltar com o Música de Brinquedo… Espero que logo, logo, a gente possa apresentar o show novo para vocês”!

 

Quem não foi perdeu um showzaçooo!

 

Para quem não viu ou para quem quer rever:

Após o show encontrei-me com a Keila e o Robson! Uma pena a Keila não conseguir chegar perto de onde eu estava para relembrarmos os vários shows do Pato Fu que assistimos juntas!

Bem, eu estava super cansada da maratona do dia, e o negócio era dormir porque no domingo tinha mais!

Queria muito ver o Brasileirão na manhã do domingo, mas não agüentei!!

O negócio foi ir pro show da


Mart’nália

Olha o tanto de gente que estava em frente ao Paço Municipal no domingo:

Eram 10.000 pessoas, o tempo tava bom, e o show foi ótimo.

Ela cantou, além de outras músicas, os grandes sucessos: Cabide; Don’t Worry, Be Happy e claro: Chega!! Fez uma linda versão de Conto de Areia, grande homenagem à Clara Nunes! Sem contar as músicas do novo trabalho: África. Nota 10!

Para quem não viu ou para quem quer rever:

Estávamos eu e a Nine assistindo o show, quando duas meninas pararam bem na nossa frente: era a Mor e a Mila! Muito engraçado! Como falamos: isso é o que chamamos de sincronicidade, se tivéssemos combinado acho que não nos encontraríamos tão fácil! Depois chegou a Ti, e a Dô também estava por lá…

Encontrei-me também com o Paulinho, ex-namorado de uma ex-colega de trabalho (tsc), pessoa que eu admiro pra caramba! Fiquei feliz de tê-lo encontrado por lá!

Depois chegou a Fer e a Nika! E de galera, fomos “almoçar” e esperar o show do Tremendão!

 

Erasmo Carlos

 

Praça cheia para o show que encerrou a Virada Cultural 2010. Dez mil pessoas estavam lá para ver o SenhorRoqueirodeCabelosBrancosComAtitudeSuperRock’n’Roll.  Se eu não imaginava que um diria veria o show do Roberto Carlos, quem dera então imaginar ver o Roberto e também o Erasmo no mesmo fim de semana?

Não tenho muito o que falar, só posso dizer que o cara mandou bem!

 

Para quem não viu ou para quem quer rever:

No show do Erasmo Carlos chegaram a Pri Pacheco e depois a Januza.

Depois do fim do show, tivemos pique para ir ao Bar do Alemão, tomar aquele submarino e comer marreco recheado com lingüiça! Depois passamos no espaço Cult onde tava rolando uma banda cover de rock anos 60, muito bom!!

E pra finalizar o fim de semana, a noite, a virada, fizemos uma rodinha de violão na casa da Nine!

Ufa!! Final de semana e tanto, hein??


Obs.: os dados a respeito do público nos shows foram retirados no site da Prefeitura.

21
jul
10

Listas das 10 Coisas Que Devo Voltar a Fazer ou Colocar em Prática

As pessoas mais próximas a mim sabem que nos últimos dias, tive mudanças significativas na minha vida. O que posso dizer é que estou bem, e que, sim, mudanças são necessárias. Acredito que este era o empurrão que eu precisava para tornar a tomar as rédeas da minha vida, dos meus valores, do meu eu!

Pensem em alguém que sempre quis saltar de pára-quedas… E que toda vez, essa pessoa agendava uma data, fazia planos, e chegava a entrar no avião. E quando estava no avião e este estava com a porta aberta, e tudo pronto para o salto, o pára-quedista olhava lá embaixo, naquele céu por descobrir, naquele chão lá em baixo para atingir, e desistia… Até que chegou um dia em que, quando estava a pensar se saltava ou não, seu instrutor, lhe deu um empurrão! E o salto foi maravilhoso! Um múltiplo de sensações impossíveis de serem descritas, onde, só quem experimentou, sabe como é…

É deste tipo de empurrão que eu falo: agora não há mais desculpas, não há como voltar atrás, basta por meus planos, anseios, e vontades em prática!

Sendo assim, o intuito do post de hoje é tornar públicas, algumas coisas que quero por em prática. As pessoas sempre dizem que quando a gente “coloca os objetivos no papel, eles se tornam reais” enfim, é mais ou menos por aí… Como eu sou uma pessoa que adora fazer listas, pra tudo (!!), então, porque não mais uma?? Não vou listar tudo, tudo, tudo, vou colocar as coisas mais importantes, então, selecionei as “10 TOP”… Assim, as pessoas que estão por perto, podem me ajudar a lembrar sempre também!! E gostaria de ressaltar, que a numeração não é por ordem de importância/relevância!!

 

  1. Terminar minha pós-graduação: agora falta pouquinho, são 3 matérias e daí posso dizer que tenho especialização latu sensu em finanças!!
  2. Tirar minha carteira de motorista: primeiro passo pra depois comprar um carro, este é o maior arrependimento meu, ter começado auto-escola e não ter terminado (quando só faltavam 3 aulas práticas e o teste final…) Mas enfim, hora de recuperar o tempo perdido…
  3. Voltar a fazer inglês: a primeira de muitas línguas que ainda quero cursar… Futuramente vou voltar a fazer alemão, e pretendo não parar por aqui…
  4. Emagrecer: onde está a novidade?? Preciso, preciso, preciso!!
  5. Voltar a fazer atividades físicas: bem, voltei a jogar futebol, o que está me fazendo um bem incrível, mas ainda quero voltar a pedalar e patinar… Academia não funciona, pra mim é castigo!! Hehe…
  6. Voltar a fazer meus “passeios e viagens culturais”: amo ir a museus, ir ao cinema, ver exposições, ver shows, ir ao teatro, ler, ler e ler. Porque realmente, há tempos tinha deixado de lado, e estas coisas, me fazem muitoooo beeem!
  7. Voltar a tocar: Preciso!! Algumas idéias já estão em andamento… Estou enferrujada!! Isto é algo que faz parte de mim, e por mais que às vezes canse, acho que nunca vou largar o osso!
  8. Viajar: há muito tempo prometo pro meu vô ficar uns dias na praia com ele… Vou dar um jeitooo!
  9. Rever pessoas: quando acontecem estas revira-voltas na nossa vida, que sentimos a importância dos nossos amigos! Como é bom sentir-se amado! E ver que muitas pessoas se preocupam com a gente! Tem várias pessoas há quem devo aquela “visitinha”, aquele cafezinho no shopping, botar o papo em dia…
  10. Escrever mais por aqui: acho que é um bom item pra terminar esta lista, não é? Ro!! Este item é dedicado a você!! Sua sugestão né? Mais uma vez, obrigada por tudoo!!

 

 

É isso aí! Novas coisas virão!

Tenho certeza que Deus tem um plano muito especial para mim!!

Priscila

15
jul
08

Caminho do Itupava

 

No último sábado, alguns amigos e eu fomos acampar na Serrado Mar, no meio da Mata Atlântica e também, percorrer o Caminho do Itupava. A foto acima, tiramos no Borda do Campo, início do caminho no município de Quatro Barras.

Há tempos atrás, tal caminho era a única ligação do litoral com o planalto. Inicialmente era uma trilha indígena, e posteriormente, os jesuítas colocaram as pedras, mais precisamente no século XIX.

 

É indescritível a sensação de estar ao lado da natureza!! O único som que ouvíamos era o vento passeando através da mata, um grilo distante, vez ou outra o pio de pássaros, muitas vezes o som de cachoeiras e rios de água límpida, além da nossa respiração. Respirar ar puro, colocar o corpo pra trabalhar, passeio formidável!

O caminho possui 16 Km de extensão, muitas subidas, muitas descidas, estas forradas de pedras escorregadias que renderam muitos tombos, e aquelas, colocavam a prova nossa resistência física e capacidade pulmonar!!

Além da natureza ao redor, pudemos visitar alguns pontos históricos. O primeiro foi a Casa do Ipiranga, que durante certo tempo, foi a casa do engenheiro chefe da construção da ferrovia. A casa do Ipiranga na época era assim:

Hoje, ela está assim:

 

 

Quando tirei estas fotos, já era noite, pois fizemos uma parte da trilha à luz de lanternas. Nós montamos acampamento a 100 metros da casa, ao lado de uma cachoeira, onde funcionava uma pequena usina hidrelétrica que gerava luz à Casa do Ipiranga.

 

No domingo pela manhã, continuamos a trilha. Passamos pela Ferrovia (inaugurada em 1885). Subimos, subimos, descemos, descemos, descemos, e chegamos ao Santuário do Cadeado, onde funcionava o escritório da Comissão Construtora da Ferrovia. Neste ponto, sentia muita dor nos joelhos, por conta das descidas escorregadias, e dor em todos os músculos do corpo, pois o trajeto do domingo foi o mais comprido e pesado. Ao chegar ao final da trilha ainda tivemos que percorrer uma estrada que faz margem ao Rio Nhundiaquara, mais 4 Km!!!

No total percorremos 20 Km, durante 10 horas de caminhada!

Quero agradecer a Pri Vargas e a Rosane, pelo convite! Vocês mataram uma antiga vontade minha de fazer trilhas. Também nunca tinha acampado, mais uma nova experiência! Além disso tudo, aqui começa uma nova fase: voltar ao ritmo que eu tinha há tempos atrás! Preciso dizer tchau definitivamente à vida sedentária que eu estava levando!!

E com certeza faremos novas trilhas… Há muitos lugares ainda a serem percorridos!

03
jul
08

O Caminho Não Escolhido

Eis aqui um poema-espelho.

Poema-espelho porque assim que o li, vi minha imagem refletida nele. Vi que nele, havia um pouquinho de mim… Espero que todos que passem por aqui possam tirar algo dele…

Vocês já pensaram na consequência de suas escolhas? Suas escolhas, suas metas, seus caminhos, são condizentes com o seu coração, com o seu querer, com a sua vontade ? Ou foi algo meramente imposto, ou o mais fácil, ou escolhido porque faltou coragem?

ASSIM COMO O AUTOR:

EU ESCOLHI O MENOS PERCORRIDO/ E ISSO FEZ TODA A DIFERENÇA.

 

O CAMINHO NÃO ESCOLHIDO

Num bosque amarelo dois caminhos se separavam,
E lamentando não poder seguir os dois
E sendo apenas um viajante, fiquei muito tempo parado
E olhei para um deles tão distante quanto pude
Até onde se perdia na mata
Então segui o outro, como sendo mais merecedor,
E sendo talvez melhor direito,
Porque coberto de mato e querendo uso
Embora os que por lá passaram
Os tenham realmente percorrido de igual forma,
E ambos ficaram essa manhã
Com folhas que passo nenhum pisou.
Oh, guardei o primeiro para outro dia!
Embora sabendo como um caminho leva pra longe,
Duvidasse que algum dia voltasse novamente.
Direi isto suspirando
Em algum lugar, daqui a muito e muito tempo:
Dois caminhos se separaram em um bosque e eu…
Eu escolhi o menos percorrido
E isso fez toda a diferença.

Sobre o autor: Robert Lee Frost nasceu em São Francisco, em 26 de março de 1874. Foi um dos mais importantes poetas dos Estados Unidos do século XX. Este poema, (título original: The Road Not Taken) é presença obrigatória em qualquer antologia poétima americana. Curiosamente, o descobri ao ler um livro sobre educação financeira, o famoso Pai Rico Pai Pobre. Me apaixonei pelo poema. Mais tarde ao rever o filme Sociedade dos Poetas Mortos, descobri que Robbie Willians (papel principal), recita-o em uma de suas passagens. Pra quem não leu o livro, e não assistiu o filme, ficam aí as dicas…




Categorias

TWITTER